Remoção de fradinhos, iniciada na orla, será estendida a toda a cidade

A retirada dos fradinhos – barreiras de concreto ou ferro – que já começou a ser feita na orla da Zona Sul será estendida ao resto da cidade dentro de 60 dias. A prefeitura começará a fixar, ainda esta semana, prazos distintos por bairro ou região para que condomínios e proprietários de imóveis residenciais ou comerciais removam os obstáculos, instalados indiscriminadamente nas calçadas. A determinação será publicada em portaria conjunta das secretarias de Urbanismo, Conservação e da Ordem Pública. E deverá começar a valer logo após a conclusão da retirada dos fradinhos da orla entre o Flamengo e o Recreio dos Bandeirantes.

Ontem, último dia para remoção dos obstáculos nas avenidas Vieira Souto, em Ipanema, e Delfim Moreira, no Leblon, alguns condomínios corriam contra o tempo para liberar as calçadas, enquanto outros pediam ampliação do prazo. Segundo o secretário de Conservação, Carlos Roberto Osório, dos 79 prédios da orla de Ipanema e Leblon, 66 já removeram os obstáculos. Outros 13 conseguiram prazo até sexta-feira para providenciar a liberação das calçadas.

Prédios da Barra vão ser notificados hoje

Hoje, a prefeitura começa a notificar os condomínios da orla da Barra, dando 15 dias para que os administradores façam o trabalho. Já os da orla do Recreio serão notificados na segunda quinzena deste mês. Em setembro, será a vez da orla de Copacabana, Leme, Botafogo e Flamengo.

Segundo o secretário de Urbanismo, Sérgio Dias, a tendência da prefeitura é decidir pela retirada quase total de fradinhos na cidade, dando autorizações apenas em casos excepcionais.

E, quando isso for feito, deverão ser estabelecidos padrões de fradinhos para cada região, que atendam às necessidades locais. O trabalho fora da orla deverá começar pelo Centro Histórico, uma prioridade do prefeito Eduardo Paes. A remoção, contudo, segundo o secretário Carlos Osório, deixará de fora obstáculos colocados pelo poder público dentro de projetos de urbanização de ruas, como, por exemplo, as bolas de ferro do Rio Cidade no Leblon.

– Essas bolas foram previstas no projeto – justificou.

Para o secretário Sérgio Dias, a cidade hoje sofre as consequências de anos de liberalidade e falta de fiscalização, o que produziu um semnúmero de fradinhos e jardineiras instalados sem critério, como forma de evitar o estacionamento proibido.

Ontem, três condomínios da orla de Ipanema e do Leblon faziam a remoção de fradinhos. Num deles, o Edifício Vieira Souto, na esquina com a Rua Joana Angélica, operários providenciavam a retirada de 32 obstáculos. Síndico teme volta de flanelinhas em Ipanema Síndico do prédio, Paulo Mauricio Wanderley disse temer que as calçadas voltem a ser exploradas por flanelinhas.

Enquanto isso, perto dali, um caminhão de mudança ocupava, no início da tarde, parte da calçada em frente ao prédio número 412 da Vieira Souto.

– A prefeitura prometeu fiscalizar, mas não é onipresente – disse Paulo.

O secretário da Ordem Pública, Alex Costa, disse que a secretaria está preparada para enfrentar o estacionamento proibido nos locais onde os fradinhos forem retirados.

Fonte: O Globo

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Projeto Urbanístico

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s