Arquivo da categoria: Cultura

Rio de Janeiro é Patrimônio Mundial

O Rio de Janeiro tornou-se Patrimônio Mundial. A decisão foi anuncida em São Petersburgo, na Rússia, durante a 36ª. sessão do Comitê do Patrimônio Mundial da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco. A escolha foi feita na categoria “paisagem natural urbana”.

A candidatura do Rio baseou-se na topografia da cidade com belezas naturais como a Floresta da Tijuca, o Pão de Açúcar, a Baía de Guanabara entre outros pontos que se tornaram cartões postais reconhecidos em todo o o mundo. A apresentação, em São Petersburgo, foi feita pela ministra da Cultura, Ana de Hollanda, e pelo presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Iphan, Luiz Fernando de Almeida.

Ao se tornar Patrimônio Mundial, o Rio de Janeiro passa a receber apoio técnico da Unesco para a conservação também de pontos da sua paisagem como a Praia de Copacabana, o Jardim Botânico, o Morro do Corcovado, que abriga o Cristo Redentor, e o Aterro do Flamengo.

Neste sábado, a Unesco escolheu as Fortificações de Elvas, em Portugal, para integrar a lista de Patrimônio Mundial, além da Mesquita de Sexta-Feira, no Irã. A 36ª. sessão do Comitê do Patrimônio Mundial deve terminar nesta sexta-feira.

Mônica Villela Grayley, da Rádio ONU

2 Comentários

Arquivado em AMBIENTE URBANO, Cultura, Patrimônio Cultural

Rio de Janeiro se candidata ao título de patrimônio mundial da Unesco

As autoridades do Brasil apresentaram a candidatura da cidade do Rio de Janeiro ao título de patrimônio mundial da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). A ideia é reunir esforços internacionais na luta pela preservação da cultura e das riquezas naturais de uma área que inclui os principais pontos turísticos cariocas.

Em julho, o projeto da Unesco será analisado em São Petesburgo, na Rússia. Depois, os especialistas votarão a proposta brasileira, apresentada nesta terça-feira (15), para decidir se o Rio deve receber o título. O público-alvo das apresentações é formado pelas representações diplomáticas dos 21 países com poder de voto na Convenção do Patrimônio Mundial, membros das principais universidades, formadores de opinião, jornalistas e instituições de preservação de todo o mundo.

Atualmente, 911 sítios são considerados como patrimônio mundial da Unesco, localizados em 151 países. O Brasil faz parte dessa lista, com 18 sítios cadastrados – entre eles Brasília, o centro histórico de Salvador e as reservas de Fernando de Noronha.

O Projeto Rio de Janeiro, Paisagem Cariocas entre a Montanha e o Mar foi apresenado pela embaixadora do Brasil na Unesco, Maria Laura da Rocha, pelo presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Luiz Fernando de Almeida, e pela superintendente do Iphan, Cristina Lodi.

Pela proposta apresentada, as áreas que devem ser incluídas como patrimônio vão do alto do Corcovado até o Morro do Pico, em Niterói. Também devem ser incluídos pontos turísticos conhecidos, como o Parque Nacional da Tijuca, o Passeio Público, o Jardim Botânico, o Parque do Flamengo, a Baía de Guanabara e as orlas de Copacabana – com as praias do Leme, de Copacabana, Urca e Botafogo.

O presidente do Iphan disse que a situação social e econômica da cidade dificulta o trabalho de preservação de suas características naturais. Para Almeida, os grandes eventos internacionais, como a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 216, representam um desafio na luta pela conservação do Rio, que não deve ser feita de forma pontual .

A embaixadora Maria Laura da Rocha está otimista em relação à candidatura do Rio, embora especialistas tenham sugerido mudanças no documento final. “Eles [os especialistas] reconheceram as características de patrimônio mundial, o valor universal. Mas acharam que há algumas dúvidas quanto ao plano de gestão e monitoramento”, disse ela.

Renata Giraldi, da Agência Brasil

2 Comentários

Arquivado em AMBIENTE URBANO, Cultura, Patrimônio Cultural, Patrimônio público

Rio 2016: Surf nas Olimpíadas

A edição da revista Alma Surf que chega às bancas no mês de abril traz uma proposta diferente de apenas relatar o que acontece mar adentro. O principal objetivo desta edição é promover um movimento mundial para incluir o surf na grade de dos Jogos Olímpicos de 2016, que acontece no Rio de Janeiro.

O documento “Rio 2016: Surf nas Olimpíadas” é um dossiê sobre o esporte que mostra porque esse é o momento ideal para mostrar que o surf deve ser reconhecido e estar presente no evento. “O Brasil tem sido palco das grandes mudanças do segmento e também fora dele, seja no mercado, em estereótipos, modelos de negócios, varejo ou tendências”, conta Romeu Andreatta, publisher da revista. Segundo ele o esporte possui mais de 20 milhões de praticantes no mundo e movimenta R$ 8 bilhões de consumo no Brasil e US$ 20 bilhões no mundo.

O movimento começa com o lançamento desta edição da Alma Surf e continua nas redes sociais. A página no Facebook foi criada para informar a respeito do movimento, assim como o Twitter. Entrará no ar também um abaixo-assinado para que as pessoas possam se manifestar sobre o caso.

Deixe um comentário

Arquivado em AMBIENTE URBANO, Copa Mundial 2014 e Jogos Olímpicos 2016, Crianças e adolescentes, Cultura, Ideia sustentável, Nossos bairros

Carnaval do Rio de Janeiro de 2012 em números

Os secretários municipais de Turismo e Conservação – Antonio Pedro Figueira de Mello e Carlos Roberto Osório, respectivamente – anunciaram que o Carnaval do ano de 2012 gerou uma receita estimada de R$ 1,45 bilhões ??? (aproximadamente EUA 850 milhões dólares ), na cidade do Rio de Janeiro.

Segundo suas estimativas, Rio acolheu 1,1 milhões de visitantes este ano, 29 por cento mais do que o esperado, e 32% dos quais eram estrangeiros.

Estatísticas da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira no Rio de Janeiro (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis – ABIH) mostram que a taxa média de ocupação hoteleira foi de 95 por cento. Hotéis em Centro registada a taxa mais elevada de 99,16 por cento, seguido pela vizinhança do Flamengo em 98,66 por cento.

Na Zona Sul (Zona Sul), hotéis em Leme e Copacabana mostrou uma média de 94,45 por cento de ocupação e taxas de Ipanema e Leblon registradas de 93,81 por cento.

Estimativas das autoridades municipais também indicam que 5,3 milhões de pessoas participaram dos 425 festas de carnaval de rua (ou “blocos”), um aumento de 9,7 por cento em números do ano passado, com Cordão de Bola Preta atrair o maior número de foliões em 2,2 milhões pessoas, seguido por Monobloco, com 400.000 pessoas.

Segundo o secretário Municipal de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello, o Carnaval de 2012 pode ser considerado um sucesso: “Tivemos um carnaval de sucesso absoluto. Recebemos um grande número de turistas. Com este sucesso trazem novos desafios. Nós ainda temos problemas com o xixi na rua e lixo, mas é algo que já está sendo planejado no futuro e vai ser melhorado. “

O número de pessoas presas por urinar nas ruas aumentou para 1.014 no ano passado de 777, enquanto a quantidade de lixo diminuiu 23 por cento a partir de 1.300 toneladas em 2011, para 1.000 toneladas em 2012, que foi atribuída a mais reciclagem este ano.

Também foi anunciado que a Zona Sul não terá quaisquer blocos novos licenciados. O secretário disse.”Quanto ao número de blocos, vamos conversar com alguns deles, como o Afro Reggae, que aparece em Ipanema cresceu muito. “Podemos encontrar um lugar alternativo. “

Deixe um comentário

Arquivado em AMBIENTE URBANO, Carnaval, Cultura

Biblioteca na Praia – Um Presente Para o Rio!

livro-de-rua

Sexta-feira, 20, é o Dia de São Sebastião, padroeiro do Rio. Para comemorar, o projeto Livro de Rua oferece um presente à cidade e aos cariocas e seus visitantes: uma Biblioteca na Praia de Copacabana. Será no calçadão, posto 6, ao lado da estátua do poeta Carlos Drummond de Andrade.

Quem passar pelo local, a partir de 10h, poderá levar um livro para ler em casa. Serão distribuídos gratuitamente cerca de 1.000 títulos para adultos, jovens e crianças, de autores novos e consagrados como Jorge Amado, Luis Fernando Verissimo, Martha Medeiros, Gabriel García Marquez, James Joyce, Machado de Assis, Thalita Rebouças, J.R.R. Tolkien, entre muitos outros. Todos provenientes de doações.

Haverá também contação de histórias por parte da Taberna dos Bardos, projeto irmão do Livro de Rua, que tem por objetivo não só divertir crianças e adultos, mas despertar nas pessoas o interesse pela leitura.

Como já é praxe em nossas atividades, os livros são de graça e não há qualquer burocracia. Apenas um compromisso: terminada a leitura, passá-los adiante para um conhecido, amigo ou parente, ou deixá-los em um local público, como bar, padaria, farmácia etc.

Ler e passar adiante  é o slogan do Livro de Rua, que no ano passado distribuiu mais de 5.000 livros, a maior parte em regiões de baixa renda. Em quatro anos, o projeto de democratização da leitura, ligado ao Instituto Ciclos do Brasil, distribuiu gratuitamente 13 mil livros.

2 Comentários

Arquivado em Cultura

Prefeito participa de comemoração de abertura do Chanuká em Copacabana

Foto: J.P. EngelbrechtO prefeito Eduardo Paes participou na noite desta terça-feira, dia 20, da tradicional comemoração de abertura do Chanuká na Praia de Copacabana, evento de celebração do feriado judaico organizado pelo Beit Lubavitch em parceria com a Fierj. Na ocasião, o prefeito anunciou a sanção da lei de autoria do vereador Marcelo Arar que inclui o “Dia de Israel” no calendário de datas comemorativas do município do Rio de Janeiro, a ser celebrado em 14 de maio. A data homenageia o dia em que foi criado o Estado de Israel, em 14 de maio de 1948.

Durante a festa foi aceso um candelabro de nove braços, como símbolo da Festa das Luzes. A festa de Chanuká é celebrada pelos judeus durante oito dias, após o acendimento da primeira vela da “chanukiá” (candelabro), montada ao ar livre. Este ritual comemora o milagre do azeite que queimou por oito dias no candelabro do Templo de Jerusalém.

Após acender um dos braços do candelabro, o prefeito do Rio falou sobre a comemoração judaica:

Foto: J.P. Engelbrecht– É uma enorme honra estar aqui numa data tão especial para o povo judeu. Tive a oportunidade de passar três meses da minha vida em Israel e aprendi muito naquela ocasião. Como prefeito dos cariocas, só tenho a agradecer que essa comunidade se junte aqui, hoje, às vésperas de uma data tão especial também para o povo cristão, para que essa cidade passe a estar iluminada e inspirada em todos esses princípios judaicos – disse.

 O Rabino Gabriel Aboutboul explicou o significado da Festa das Luzes:

 A Festa das Luzes simboliza a festa da liberdade, a luz que existe na alma de cada um de nós e nos dá a força e a capacidade de fazer a diferença na vida de cada pessoa que está a nossa volta. Por oito dias, a cada noite acenderemos mais uma vela, uma luz, e pensaremos em coisas positivas que irão iluminar corações e aquecer o caminho a ser percorrido.                                                                                                      

Foto: J.P. Engelbrecht Essa é a cerimônia   que mostra que a luz que ilu mina o povo judeu é a mesma que ilumina todos os recantos onde nos encontramos. Dessa forma, o acendimento deve ser feito em público para que ilumine não só os lares judaicos, mas toda a comunidade como um só conjunto – comentou o Cônsul Honorário de Israel no Rio de Janeiro, Osias Wurman.

Após a celebração, centenas de pessoas que prestigiaram a Festa das Luzes assistiram ao show dos artistas George Israel (Kid Abelha) e Toni Garrido (Cidade Negra).

Também participaram da cerimônia a secretária municipal de Educação, Claudia Costin; o Cônsul Honorário de Israel no Rio de Janeiro, Osias Wurman; o presidente do Beit Lubavitch, Nelson Cuptchik; e parlamentares.

Autor: Texto: Juliana Romar / Fotos: J.P. Engelbrecht

 

Deixe um comentário

Arquivado em Cultura

U2 em Copacabana

Antes do show deste ano do U2 no Brasil os boatos é que eles fariam um show em Copacabana mas a ideia acabou não vingando. Só que parece que a banda se empolgou com a ideia e está planejando fazer um show diretamente, na véspera da final da Copa do Mundo, de um porta-aviões estacionado perto da praia, barcos e iates teriam autorização para se aproximar e ver o espetáculo e telões devem ser instalados na areia para que todos tenham uma boa visão do grupo.

Não acho que isso vá acontecer, não sou um especialista em navios mas acho que um porta-aviões não pode se aproximar o suficiente da praia de Copacabana sem correr o risco de encalhar e não seria muito divertido ver o show apenas do telão. O mais provável é que instalem o palco na praia, a equipe da banda acredita que teria público recorde e que não seria difícil conseguir patrocínio.

Outra ideia, caso o show no mar não vingue, é instalar um palco de 180º em Copacabana. A equipe de Bono acredita que o público pode ser recorde e que não seria difícil conseguir patrocínio para a apresentação. Claro que não seria, imagine, Copa do Mundo já atrai muita atenção com um mega-show como esse…

Outra notícia dada pela Mônica Bergamo da Folha de São Paulo é que a banda irlandesa está planejando gravar um DVD no Corcovado com participação de brasileiros como Ivete Sangalo e Roberto Carlos. A renda do DVD seria revertido para projetos humanitários. As imagens com certeza iriam ser lindas.

Fonte: Site Diário do Rio

Deixe um comentário

Arquivado em AMBIENTE URBANO, Crime ambiental, Cultura, Megaeventos, Plano Diretor, Privatização dos espaços públicos

Unesp recebe espólio do escritor Augusto Schmidt

A Universidade Estadual Paulista (Unesp) receberá a doação do espólio do escritor Augusto Frederico Schmidt, autor de mais de trinta livros, entre prosa e poesia, e de vários artigos publicados em jornais e revistas, entre as décadas de 1920 e 1950.

A Fundação Yedda L. Schmidt e Augusto F. Schmidt, detentora do espólio, por meio de sua herdeira testamentária, a jornalista Eliane Georgette Peyrot, diz que doar o espólio à Unesp, como sua fiel depositária, é o melhor caminho para efetivar-se a interação entre a Fundação e o público de estudiosos de diferentes e fecundas pesquisas. O espólio é formado por um acervo literário de 3.170 obras, além do mobiliário, piano, tapeçaria e objetos de decoração de ambiente.

Principais obras do autor: O Galo Branco (1948), Paisagens e seres (1950), Pássaro cego (1930), Canto da Noite (1934), Estrela Solitária (1940).

SOBRE AUGUSTO FREDERICO SCHMIDT

Carioca, nasceu em 18 de abril de 1906. Em 1922, publicou seus primeiros versos num jornal do bairro de Copacabana chamado “O Beira-Mar”. Foi para São Paulo e conheceu a nova geração de artistas e intelectuais que integravam a Semana de Arte Moderna de 1922.

Em 1928, retornou ao Rio de Janeiro e lançou seu primeiro livro de poesias: Canto do Brasileiro Augusto Frederico Schmidt. Em 1930, fundou a Schmidt Editora, onde publicou vários autores consagrados, entre eles, Vinicius de Moraes, Graciliano Ramos, Gilberto Freyre, Rachel de Queiroz e Jorge Amado. A Livraria Schmidt Editora esteve em atividade até 1939.

Em 1934, Schmidt fundou, junto com Luiz Aranha, a empresa Metrópole Seguros e daí pra frente envolveu-se em várias atividades das áreas comerciais e industriais. Casou-se com Yêdda Ovalle Lemos, em 1936. No ano seguinte, iniciou carreira como cronista do jornal Correio da Manhã e alguns anos depois, também começou a escrever artigos para o jornal O Globo.

Na década de 50 abriu o primeiro supermercado do Rio de Janeiro: o Disco, inaugurado em 1952 em Copacabana. Foi ghost-writer do ex-presidente Juscelino Kubitschek e também contribuiu para contornar dificuldades no país e no exterior derivadas do apoio dos comunistas à candidatura de Juscelino.

Durante o governo Kubitschek foi um dos mais prestigiados assessores presidenciais, cabendo-lhe o comando ostensivo da Operação Pan-Americana (Opa), iniciativa brasileira para atrair investimentos norte-americanos para um programa de desenvolvimento econômico e social da América Latina sob a liderança do Brasil. Schmidt morreu em 8 de fevereiro de 1965, vítima de um ataque cardíaco.

Fonte: Vitruvius

Deixe um comentário

Arquivado em Cultura

O TINKU 100% BOLIVIANO

Com o objetivo de reivindicar, promover e postar precedente internacional sobre a origem da dança TINKU, a Organização Boliviana em Defesa e difusão do folclore Boliviano OBDEFO com apoio dos Ministérios das Relações Exteriores e de Culturas da Bolívia, estão organizando a nível mundial dito Evento em 36 cidades de 16 países, com apresentações públicas de música e dança, numa mesma hora e data.
Como parte do evento, no dia 31 de julho de 2011 domingo, das 11h às 13h na Praia de Copacabana, Av. Atlântica entre as ruas Rodolfo Dantas y Fernando Mendes será realizado o Evento Cultural nesta cidade maravilhosa.
Organização e Apoio:
Consulado Geral da Bolívia no Rio de Janeiro
Sub Prefeitura Zona Sul do Rio de Janeiro
Grupo Folclórico Cultural Patuju
Grupo Renascer Andino
Grupo Integración Latina
Bolívia Cultural

Shirley Orozco Ramirez
Cônsul Geral da Bolívia no Rio de Janeiro”

Deixe um comentário

Arquivado em Cultura

Prefeitura do Rio apresenta balanço do Carnaval 2011


Bloco carnavalesco Simpatia É Quase Amor

Simpatia É Quase Amor foto : Pedro Kirilos/Riotur

Prefeitura do Rio apresentou na manhã desta segunda-feira, dia 14, o balanço geral do Carnaval 2011, que teve recorde de foliões nas ruas e de turistas na cidade. Com o sucesso desse Carnaval, o Rio de Janeiro se consagra como o maior carnaval de rua do país, atingindo a marca de 4,9 milhões de foliões espalhados em diferentes pontos da cidade.

Desse total, 1 milhão era de turistas, sendo 700 mil nacionais e 300 mil estrangeiros. A Folia de Momo gerou U$750 milhões, teve 96% da rede hoteleira ocupada e registrou um aumento de 15% no número de pacotes vendidos.

O secretário especial de Turismo e presidente da Riotur, Antonio Pedro Figueira de Mello, fez um balanço positivo sobre o evento.

– O Rio teve um Carnaval de muita tranqüilidade e de sucesso absoluto.

Tivemos 1 milhão de turistas, estávamos esperando 750 mil. O Carnaval é a maior festa popular do mundo. O Rio de Janeiro prova que tem o maior Carnaval do Brasil. Foi um Carnaval sem maiores incidentes, onde as pessoas brincaram nas ruas.

Ao comentar sobre a infraestrutura e prestação de serviços da Prefeitura do Rio, o secretário municipal de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Roberto Osório, disse que a operação carnavalesca foi bem-sucedida porque existia um planejamento e por causa do funcionamento do Centro de Operações Rio. Osório comparou o Carnaval com as Olimpíadas, que serão realizadas na cidade em 2016.

– O Rio de Janeiro encerrou ontem (domingo) uma operação de guerra.

Talvez a mais complexa em termos de logística da história recente da nossa cidade. Tivemos a movimentação de quase 5 milhões de foliões, que participaram de 424 blocos, em todas as regiões da cidade. E o Rio de Janeiro que se prepara para os Jogos Olímpicos pode respirar tranquilo, sabendo que nós temos capacidade operacional. Os Jogos Olímpicos, por exemplo, terão 9 milhões de espectadores, em arenas com lugar marcado, uma operação pré-determinada mais fácil. Os Jogos Olímpicos têm 303 eventos. Nós tivemos 424 eventos em toda a cidade no

Carnaval. Os Jogos Olímpicos têm mais ou menos 47 instalações esportivas onde esses eventos acontecem. Nós tivemos mais de 100 locais onde esses blocos desfilaram e a cidade funcionou.

A apresentação dos dados do Carnaval foi realizada na sede da Riotur, no Centro, e contou com a participação do secretário especial de Turismo e presidente da Riotur, Antonio Pedro Figueira de Mello; dos secretários municipais de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Roberto Osório; de Ordem Pública, Alex Costa; da presidente da Cet-Rio, Cláudia Secin; do chefe-executivo do Centro de Operações Rio, Sávio Franco; e do superintendente da Guarda Municipal, Ricardo Pacheco.

Banda de Ipanema

Banda de Ipanema

Carnaval 2012

Com o objetivo de desafogar o número de blocos na Zona Sul do Rio de Janeiro e proporcionar um melhor Carnaval para os foliões e moradores da cidade, a Riotur já começou a fazer um estudo detalhado que pretende reduzir pela metade o número de foliões da região para o Carnaval de 2012.

Entre os quesitos que serão analisados sobre as mudanças para o próximo carnaval estão a tradição dos blocos e a identidade deles com os bairros, como exemplos a Banda de Ipanema, o bloco Simpatia Quase Amor, Acadêmicos do Vidigal, entre outros.

Em 2011, 424 blocos foram cadastrados e desfilaram pela cidade, número 10% inferior ao de 2010, quando 465 saíram pelas ruas do Rio. Na Zona Sul o público estimado para esse ano, que era de 744 mil pessoas, chegou a 1.543 milhão, entre cariocas e turistas.

Conteineres químicos

Conteineres químicos com o esgoto escorrendo e calçada avariada

Banheiros químicos e containers

Ao longo de 22 dias, foram posicionadas, higienizadas, e transportadas 7.400 cabines de banheiros químicos, em mais de 800 endereços na Cidade do Rio de Janeiro. Instalados e operados 40 containers sanitários, em 17 pontos da Zona Sul, Centro e Tijuca.

A estimativa é que tenham sido recolhidos mais de 1.200.000 litros de xixi pelos banheiros químicos, e 750.000 litros, pelos containers, ou seja, no total, o equivalente a 3 piscinas olímpicas de urina.

Balanço dos órgãos públicos que atuaram no Carnaval da cidade

Centro de Operações Rio

Em seu primeiro carnaval, O Centro de Operações Rio inaugurado no dia 31 de dezembro do ano passado para monitorar a cidade e os grandes eventos, ajudou no controle do tráfego e da multidão arrastada pelos blocos de rua com o auxílio de quase 500 câmeras e de operadores de 30 órgãos municipais, concessionárias, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, que trabalharam 24 horas por dia durante o feriadão.

Para chegar no meio do povo e zelar pela folia ainda mais de perto, o Centro contou com o apoio da tecnologia do carro-espião e da mochila-vigilante. A câmera, que filma 360 graus, flagrou mijões e teve papel fundamental no socorro de um jovem que se acidentou durante o Bloco das Carmelitas, em Santa Teresa, na sexta-feira de carnaval.

Com ajuda da ferramenta, o socorro dos Bombeiros chegou mais rápido ao local, salvando a vida do folião, que teve traumatismo craniano.

A chuva tentou, mas não tirou o brilho da folia carioca. Uma equipe de meteorologistas, de plantão 24h horas, monitorou as condições do tempo através do radar meteorológico e das 33 estações pluviométricas. No entanto, não houve registros de transtornos. Grajaú (35,4mm), Tijuca (35,2mm) e Bangu (34,6mm) foram os bairros onde mais choveu.

Bloco Broxadão em Copacabana

SEOP (Secretaria Especial de Ordem Pública)

Cerca de 2 mil pessoas entre agentes da Seop e guardas municipais atuaram no combate ao xixi na rua, ambulantes não credenciados, estacionamento irregular e também na dispersão dos blocos, desde os três fins de semana anteriores ao início do Carnaval.

Desde o desfile dos blocos pré-carnavalescos, 1.802 veículos foram rebocados e 7.488 multados por estacionamento irregular. A operação choque de ordem levou para a delegacia 777 mijões. Foram apreendidos 14.993 itens do comércio ambulante entre eles, bebidas, isopores e alimentos.

Guarda Municipal

A Operação Carnaval 2011 da Guarda Municipal do Rio de Janeiro registrou uma queda de 58% no número de ocorrências relacionadas ao patrulhamento em geral (como crianças perdidas, solicitações do Disque Ordem, atendimento a turistas, entre outros) e crescimento de 2,5% no número de veículos infracionados em relação ao Carnaval do ano passado. Além disso, subiu para 232 % o número de veículos rebocados.

O Centro de Controle Operacional (CCO) da Guarda Municipal do Rio de Janeiro registrou 89 ocorrências durante o Carnaval em toda a cidade, o que representa uma queda de 58% em relação ao ano anterior. No Carnaval de 2010, a GM-Rio registrou 214 ocorrências, 108 ocorrências (2009), 79 ocorrências (2008), 94 ocorrências (2007), 97 (2006), 214 (2005), 154 (2004), 406 (2003), 281 (2002) e 323 (2001).

Foram notificadas 3.723 infrações das 12h de sexta-feira, dia 12, às 6h desta quarta, dia 9, um aumento de 2,5% no número de multas em relação a 2010, quando foram registradas 3.629 multas.

Já em relação ao número de veículos rebocados pela GM-Rio neste Carnaval houve um aumento de 232 %, uma vez que 778 veículos foram rebocados. Em 2010, foram 234 veículos rebocados. Já em 2009, foram 289 veículos rebocados.

COMLURB (Companhia Municipal de Limpeza Urbana)

A Comlurb removeu 1304 toneladas de lixo desde o desfile dos primeiros blocos de rua, em fevereiro, até o Monobloco, dia 13/03, quando foi encerrado o Carnaval. Nesse total estão incluídas também as quantidades de resíduos removidas do complexo do Sambódromo, Avenida Rio Branco e Estrada Intendente Magalhães.

O pré carnaval, com o desfile de blocos em vários bairros da cidade, foi responsável por gerar 268,6 toneladas de lixo. Durante os cinco dias oficiais de folia, a Comlurb contabilizou 849,5 toneladas. Esse número corresponde a um aumento de 12% em relação ao ano passado. Já os desfiles de blocos e escolas de samba após a Quarta-Feira de Cinzas produziram 186,1 toneladas.

Para a limpeza dos blocos, a Companhia elaborou um plano de ação classificando os blocos em quatro categorias especial, um, dois e três de acordo com demanda de recursos necessária para que a limpeza seja feita por um efetivo e equipamentos ideais. Desta forma, foram agilizados os procedimentos e atendimentos às demandas específicas de cada bloco. A limpeza aconteceu com o apoio de contêineres, caminhões compactadores, pulverizadores, pipas d’água, Kombi lava jato, caminhões basculantes, mini varredeiras, varredeiras mecânicas e mini basculantes. Todas as vias da cidade por onde passaram blocos foram atendidas com limpeza.

O asseio do Sambódromo e do Terreirão do Samba ficou a cargo de 1572 garis. Na Estrada Intendente Magalhães, atuaram 43 garis, a cada dia. Os trabalhadores tiveram o apoio de caminhões basculantes e compactadores, pipas d’água, pás carregadeiras e mini varredeiras.

Essa megaoperação da Comlurb foi realizada sem comprometer a limpeza ordinária, que é feita diariamente pela empresa em todos os bairros do Rio.

A coleta seletiva no Sambódromo foi feita por 70 catadores das organizações Febracom, CataRio e Movimento Nacional de Catadores do Rio de Janeiro, que removeram 71,7 toneladas de materiais recicláveis, entre os dias 04 e 12/03.

Bloco da politicagem

Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil

Durante os seis dias de desfiles das escolas de samba, foram atendidas 1.918 pessoas, em sua maioria por cefaleia (dor de cabeça) e cortes. Ao todo, foram necessárias 57 remoções para hospitais da rede municipal (cerca de 3% do total de atendimentos). As transferências foram motivadas, principalmente, por hipertensão, fraturas, entorses e mal estar. O segundo dia de desfile do grupo A, dia 7, concentrou o maior número de atendimentos, totalizando 568 consultas, 30% do total.

A Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil (SMSDC) ofereceu à população oito postos de saúde localizados estrategicamente no Sambódromo e Terreirão do Samba, que contaram com mais de 150 profissionais de saúde de plantão, além de 16 ambulâncias UTIs. As unidades estiveram abertas a partir das 18 horas, localizadas na Concentração, setores 2, 7 e 11, Rua Salvador de Sá, Apoteose e duas no Terreirão do Samba.Todas contaram com equipamentos de suporte à vida, medicamentos, insumos e exames.

A Defesa Civil Municipal não registrou nenhum incidente grave e as equipes da Vigilância Sanitária que estavam de plantão na Marquês de Sapucaí realizaram 125 vistorias em estabelecimentos de alimentação, emitiram 30 autos de infração e inutilizaram 70kg de comida e 20 litros de bebidas. As principais causas de infração foram por armazenamento de alimentos fora da temperatura adequada e/ou estocados em condições inadequadas, falta de higiene, produtos impróprios para consumo e fora do prazo de validade.

No ano passado, 2.175 pessoas foram atendidas e 54 transferidas para hospitais (2,4% do total de atendimentos). As principais causas foram intoxicação alcoólica, crise hipertensiva (pressão alta), mal estar e problemas ortopédicos.

CET-RIO (Companhia de Engenharia e Tráfego)

A média diária de 1.000 agentes da Prefeitura atuando, sendo 750 agentes da Guarda Municipal e 250 operadores da CET-Rio. Além disso, a CET-Rio atuou com 22 reboques para desobstrução de vias; 25 motocicletas; 35 veículos de apoio operacional; 23 painéis de mensagens variáveis para orientar os motoristas e passar informações sobre as condições de trânsito. Destaque-se ainda que foram enviados 63 informativos de trânsito relacionados aos eventos carnavalesco.

RIOLUZ

Iluminação monumental do Sambódromo – 29 postes, 27 quadros de luz e 400 projetores com potência de 2mil watts cada. O sistema de proteção contra raios também foi reformado. Como esse trabalho, houve aumento de 35% a luminosidade da região.

Iluminação especial nos arcos da Apoteose – pelo lighting designer Peter Gasper, a nova iluminação conta com 288 projetores de 1000 watts de potência cada um, além disso, foram instalados 22 projetores em LED. A iluminação permitiu refletir nos arcos da Apoteose as cores de cada uma das escolas que desfilaram na Passarela do Samba.

Instalação de 914 projetores, num total de 1.255 pontos de luz a mais, em vias de grande concentração de pessoas durante o período de Carnaval. Os refletores, que aumentaram a luminosidade em 200%, e ficaram localizados nas avenidas Intendente Magalhães (84 projetores) e Rio Branco (112), no Terreirão do Samba (47), na área da dispersão (45) e na área de concentração (156) do Sambódromo.

A área no entorno do Sambódromo teve 1.000 pontos de luz reformulados em 43 vias. Na Avenida Presidente Vargas foram reformulados 660 pontos de luz, com lâmpadas de vapor metálico.

Polícia Civil

De acordo a Polícia Civil, houve uma queda em 18 crimes durante o feriado de carnaval no Rio. O número de homicídios dolosos ficou 40 em 2011 contra 72 em 2010. Lesão corporal culposa caiu de 414 para 382. A queda de lesão corporal dolosa foi de 1.040 para 662. O roubo de veículos em 2011 foi de 212 para 172.

Texto: Anna Beatriz Cunha

Extraído de: Prefeitura do Rio de Janeiro

Bloco carnavalesco Monobloco na av. Rio Branco, RJ

Monobloco


Deixe um comentário

Arquivado em Alto Verão Carioca, AMBIENTE URBANO, Carnaval, Cultura, Guarda Municipal, Megaeventos, Polícia Militar, Uncategorized