BOICOTE AO IPTU

A VERDADE TEM QUE SER DITA

A campanha do Boicote do IPTU que foi deflagrada em meados de janeiro de 2008 pelas associações de moradores da zona sul da Cidade do Rio de Janeiro, veio primeiramente do desabafo de um cidadão no Clube Israelita Brasileiro – CIB em que era discutido a questão da omissão e do abandono do bairro de Copacabana, pelo então, Prefeito Cesar Maia, lá pelos idos dos anos de 2007.

Estavam presentes a esta reunião a Presidente e o Primeiro Secretário da Associação de Moradores e Amigos dos Postos 2, 3, 4 e 5 de Copacana. E lembro muito bem que o secretário falou ” É uma! Uma ideia que pode se colocar pra frente”.

Então, na reunião do Conselho Zonal Sul da Federação da Associação de Moradores do Munícipio do Rio de Janeiro – FAM/RIO, realizada na ALMA – Associação de Moradores e Amigos de Lauro Muller, colocamos a viabilidade de se fazer o boicote ao IPTU. Duas lideranças acharam não ser uma boa escolha para os contribuintes que não tiverem fortes argumentos contra a prefeitura. Principalmente, se o morador fizer o depósito judicial, mas o município ganhar a causa, o contribuinte ser obrigado a pagar, além dos honorários de seu advogado, 20% a mais sobre o valor do IPTU. E seria grande prejuízo para todos. Como nenhuma das outras lideranças presentes se manifestaram a favor ou contra o boicote, aceitamos a decisão da mesa.

E passados algum tempo, e para surpresa nossa, um dia antes do Movimento do Boicote do IPTU, a Presidente a AMOFONTE me ligou que haveria uma manifestação o bairro do Leblon, e como tal a AMA2345 de Copacabana, compareceu com a sua diretoria para manifestar todo o apoio as associações de moradores, mesmo aquelas lideranças que foram contra a princípio. E mesmo, que alguém diga que uma Presidente da Associação de Moradores, não ter direito em falar em nome do tal Movimento do Boicote ao IPTU, digo-lhe, que a iniciativa do protesto veio de todos os cidadãos e entidades associativas cansados de verem os seus bairros degradados, abandonados  e depreciados pela omissão do poder público. Vale ressaltar, o grande apoio de duas Vereadoras Aspásia Camargo (PV) e Andréa Gouveia (PSDB) e a grande mídia televisiva e escrita que através disso, foi realizada a CPI da Desordem Urbana. E sem elas, o Movimento ao Boicote do IPTU não teria tido tanto repercussão assim.

Tão pouco a AMA2345 de Copacabana se importou de onde saiu e de quem foi a ideia do Boicote ao IPTU, o importante, é que o objetivo foi alcançado.

Cristina Reis

Presidente

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s