Arquivo da tag: Riotur

Nature Capitale chega ao Brasil em junho

A orla da praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, receberá entre 16 e 17 de junho o Nature Capitale, um dos maiores eventos de arte ambiental do mundo. O evento, que chega ao País pelas mãos da Nature Capitale Brasil, sociedade entre a Playcorp e a Nature Capitale Internacionale, ocorrerá durante a semana do Rio+20 e da C40.

Com investimentos previstos da ordem de R$ 9,5 milhões, a iniciativa unirá milhares de canteiros de plantas e árvores brasileiras por cerca de um quilômetro da Avenida Atlântica. O plano comercial prevê 16 cotas (duas máster, no valor de R$ 1,6 milhão; quatro premium, de R$ 890 mil; e dez de expositor, no valor de R$ 490 mil).

Projeção da organização de como ficará a Avenida Atlântica Crédito: Divulgação/Nature Capitale: um evento de Gad Weil

A expectativa da organização é receber 2 milhões de visitantes. Idealizado pelo artista de rua Gad Weil, o Nature Capitale foi realizado pela primeira vez em Paris, há dois anos, e teve uma edição em Lyon, no ano passado. No Brasil, conta ainda com o apoio oficial do Rio+20, da Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur), da Prefeitura do Rio de Janeiro e o incentivo da Lei Rouanet.

Fonte: Meio &  Mensagem

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em AMBIENTE URBANO, Cidades sustentáveis, Megaeventos, Rio + 20

Plantio de árvores em Copacabana deve neutralizar carbono do Réveillon

A Riotur iniciou na semana passada, por meio de uma ONG Instituto Terra de Preservação Ambiental, o plantio de 1.411 mudas de árvores nativas da Mata Atlântica, reunindo mais de 20 espécies, no município de Miguel Pereira.  O plantio das mudas visa a neutralizar o carbono emitido durante o réveillon do Rio de Janeiro, na virada de 2011 para 2012.

O secretário municipal de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello, destacou que o réveillon do Rio foi um grande exemplo de como produzir eventos “de forma inteligente e sustentável”. Ele espera que, com a proximidade da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, que ocorrerá em junho, os eventos fiquem cada vez mais comprometidos com o meio ambiente.

As 1.411 mudas correspondem à neutralização de 260 quilos de gás carbônico gerados na produção do réveillon de Copacabana, informou o ambientalista Roberto Vamos. Para chegar às 1.411 mudas, ele calculou a quantidade total de combustível gasto em todas as operações de montagem e desmontagem das estruturas, nos geradores de energia e, também, nas barcas que levaram os fogos à Praia de Copacabana.

Segundo Roberto Vamos, o projeto de reflorestamento que vem sendo implementado pela ONG Instituto Terra de Preservação Ambiental foi determinante para a escolha do município de Miguel Pereira para o plantio, como forma de neutralizar as emissões de gases da produção do réveillon. “O projeto é feito na bacia do Rio Guandu. Então, o benefício que vai ter não é só para a população de Miguel Pereira. Vai ser para a cidade do Rio de Janeiro também, porque a gente vai estar preservando os mananciais de água que abastecem o rio”.

O ambientalista ressaltou que a ideia é fazer a neutralização de carbono emitido em todos os eventos privados e públicos que ocorram na capital fluminense. “Acho que cada vez mais vai haver agora essa demanda, não só por parte de produtores privados, como também por parte de eventos dos governos, como a Copa do Mundo e as Olimpíadas”. A neutralização de carbono deverá ser posta em prática também na Rio+20. “Pense só no fato de que estão sendo esperadas entre 40 mil e 50 mil pessoas no Rio de Janeiro”, destacou ele.

Roberto Vamos sugeriu, contudo, que a neutralização de gases emitidos individualmente deve ser responsabilidade de cada cidadão. Ele indicou que algumas ONGs, como a Fundação SOS Mata Atlântica, dispõem de ferramentas por meio das quais as pessoas podem “comprar” árvores virtualmente, visando ao seu plantio em vários locais do país.

Deixe um comentário

Arquivado em Agenda 21, AMBIENTE URBANO, Cidades sustentáveis, Ideia sustentável, Megaeventos, Réveillon, Rio + 20

RJ E FOZ DO IGUAÇU LANÇAM SELO “MARAVILHAS DO BRASIL”

Embratur lança, em conjunto com osconventions bureaus de Foz do Iguaçu (PR) e do Rio de Janeiro (RJ), o selo“Maravilhas do Brasil”, que vai integrar os atrativos turísticos das duas cidades.

A ideia é aproveitar a escolha do Cristo Redentor como uma das Novas Sete Maravilhas da Humanidade e a eleição, ano passado, das Cataratas do Iguaçu como uma das Novas Sete Maravilhas da Natureza.

 

A assinatura do protocolo será feita na próxima quinta-feira (12/01), no Hotel Sofitel, em Copacabana (RJ), com a participação do presidente da Embratur, Flávio Dino; o presidente do Iguaçu Convention & Visitors Bureau, Mauro Sebastiany; do diretor Administrativo/ICVB, Enio Eidt e o superintendente geral do Rio Convention & Visitors Bureau, Paulo Senise.

A iniciativa tem apoio do Governo e vai auxiliar a divulgação turística em conjunto e a comercialização dos roteiros turísticos das duas cidades. A estratégia uniu dois dos mais famosos destinos brasileiros: o Rio é a segunda cidade mais visitada pelos estrangeiros e Foz do Iguaçu é a terceira. Levando em conta o turismo a lazer (excluindo turismo a negócio), as duas passam a ser primeira e a segunda colocadas, respectivamente.

Deixe um comentário

Arquivado em AMBIENTE URBANO, Hotelaria, Nossos bairros

Praia de Copacabana amanhece castigada pelo lixo após réveillon

A Praia de Copacabana amanheceu com muito lixo. Na foto, um registro na altura do Copacabana Palace Hudson Pontes / Agência O Globo

Após a festa de ano novo, a Praia de Copacabana amanheceu castigada, tanto pelo tempo chuvoso quanto pela quantidade assustadora de lixo que foi deixada para trás. O trabalho árduo dos garis começou às 5h da manhã, assim que o dia clareou. Foram recolhidas 370 toneladas de resíduos, um aumento de 25% em relação ao ano passado. O público, estimado pela Polícia Militar em pelo menos dois milhões de pessoas, não atendeu aos pedidos das autoridades para que levassem seus sacos plásticos e recolhessem seu próprio lixo. Lixeiras estavam espalhadas pela orla, porém, houve quem alegasse que eram poucas unidades e que, as que tinham, estavam todas cheias.

— A lixeira está muito longe. Os garis vão recolher daqui a pouco, então jogo aqui mesmo. Não tem problema — afirmou o operador de telemarketing Thiago Santos, de 22 anos.

O secretário municipal de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Osório, disse na manhã deste domingo que o trabalho de limpeza nas praias desde o Leme até o Recreio mobilizou cerca de 3.800 garis na orla. Osório estima que, pelo volume de lixo encontrado no chão, o público em Copacabana neste réveillon deve ter sido superior ao da virada de 2010/2011. Ainda de acordo com Osório, as lixeiras plásticas de 240 litros, colocadas em duplas e amarradas no calçadão e na areia, facilitaram o trabalho dos garis.

— Estamos fazendo a maior operação de limpeza urbana no mundo. Este ano, observamos muita quantidade de garrafas de vidro e de espumante no chão. Esta é uma questão para se discutir com a Ordem Pública e para alertar os cariocas para o próximo ano.

O secretário de Turismo e presidente da Riotur, Antonio Pedro Figueira de Mello, pediu mais colaboração do público. Para ele, as pessoas devem pensar num planeta mais sustentável:

— É preciso que cada um faça a sua parte. A população tem que colaborar com o descarte de detritos de forma correta, para termos uma praia mais limpa no fim da festa.

Segundo a Secretaria municipal de Saúde, a maioria dos 1.645 atendimentos realizados entre as 17h do dia 31 dezembro e as 5h30m do dia 1º de janeiro nos sete postos médicos montados na orla de Copacabana foram por cortes nos pés e nas pernas ou intoxicação alcoólica.

De acordo com o gari Anilson José de Freitas, de 50 anos, que trabalha na limpeza no pós-réveillon há pelo menos 15 anos no trecho em frente ao Copacabana Palace, este é o ano mais sujo que ele observou após a virada.

Uma turista de São Paulo chegou a pedir que a reportagem do GLOBO não registrasse a imundice da praia para que a imagem da cidade não fosse prejudicada. Segundo ela, que se disse indignada com a sujeira, a cidade não merecia ser tratada de tal maneira.

Na areia, que mais parecia um camping devido a grande quantidade de barracas e tendas espalhadas, as pessoas pareciam não se importar em dividir o mesmo espaço com a sujeira. Com a chuva e a maré subindo, o lixo era levado para a água. Dentro do mar, garrafas, latas e plásticos se misturavam a flores oferecidas para Iemanjá.

Em toda a cidade, a Comlurb recolheu 645 toneladas de lixo em toda orla da cidade após a festa da virada, um aumento de 6% com relação a 2011, quando o volume de lixo retirado das praias foi de 610 toneladas. A Comlurb mobilizou 3.800 trabalhadores, 300 viaturas e 85 equipamentos para limpeza da orla.

Seop apreende 3.600 bebidas com ambulantes irregulares em Copacabana

A operação da Secretaria Especial da Ordem Pública (Seop) de combate à desordem foi realizada desde a madrugada de sábado retirou, até o momento, 337 barracas de camping montadas nas areias de Copacabana e do Leme. Os agentes, em parceria com guardas municipais, também apreenderam com ambulantes não autorizados: 3.701 bebidas diversas, 129 botijões de gás, 50 quilos de camarão, 100 quilos de alimentos diversos como farofa, carnes e frutas; 50 quilos de milho, 127 chapéus e bonés, 192 camisetas, 136 taças de plástico, 97 capas de chuva, 62 copos luminosos, 35 copos de plástico, 10 carroças, três carrinhos de ferro, 19 óculos, 20 guarda-chuvas, 18 cangas, 22 cordões luminosos, oito adereços, sete cadeiras de praia, 12 caixas de isopor, 11 churrasqueiras, seis tendas, seis mesas, cinco bancos de plástico, um balde de alumínio, uma lona e quatro barras de ferro para sustentação de barracas.

Durante a ação, agentes da Seop multaram ainda 1.078 veículos e rebocaram 202 por estacionamento irregular em Copacabana e no Leme. A fiscalização também percorreu bairros vizinhos e impediu que 10 ônibus de turismo estacionassem irregularmente na Avenida Pasteur em Botafogo e no Jardim de Alah, em Ipanema.

Na virada do ano, de sábado para domingo, na praia da Barra da Tijuca, agentes da Seop retiraram quatro lonas que delimitavam o espaço na areia, impedindo a livre passagem. Durante a ação, foram apreendidos com ambulantes irregulares: 300 quilos de flores, três botijões de gás, uma churrasqueira, nove isopores, sete mesas e uma lona.

© 1996 – 2012. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

5 Comentários

Arquivado em AMBIENTE URBANO, Megaeventos, Patrimônio Cultural, Privatização dos espaços públicos, Réveillon, Reciclagem, Resíduos sólidos, Rio + 20, Secretaria de Ordem Pública, Subprefeitura da zona sul

Copacabana deve receber show de abertura

A praia mais famosa do Brasil deve receber o show de abertura da Copa de 2014. A Fifa quer que a festa seja em Copacabana, no Rio, na noite de 11 de junho de 2014, segundo o site Globo Esporte.

A ideia é trazer pelo menos dois grandes nomes internacionais e alguns artistas brasileiros para o show, que seria aberto à população. Ainda não foi divulgado quais seriam os artistas. A abertura da Copa no Brasil será no dia 12 de junho, com um jogo da Seleção Brasileira, no estádio do Corinthians, em São Paulo.

Na Copa da África do Sul, o show de abertura foi no bairro de Soweto, símbolo da resistência contra o regime segregacionista do apartheid. Shakira foi uma das atrações.

2 Comentários

Arquivado em Megaeventos, Privatização dos espaços públicos

Atrações do réveillon da Praia de Copacabana 2012

Réveillon de 2011

Uma das maiores festas de Réveillon do mundo começa a ter suas atrações confirmadas. Pelo menos segundo a coluna “Gente boa”, do Jornal O Globo, três nomes já são dados como certos para a festa da Praia de Copacabana: a sambista Beth Carvalho, os cantores Seu Jorge e Latino.
Além da tradicional queima de fogos que dura mais de 10 minutos, a festa conta com shows espalhados por diversos pontos da praia, onde turistas e cariocas aproveitam a virada do ano tanto na praia quanto das sacadas dos hotéis e navios ancorados próximos.
A RioTur ainda não disponibilizou a programação oficial.
Fonte: Rio Temporada

Deixe um comentário

Arquivado em Crime ambiental, Megaeventos, Réveillon

Festa do réveillon em Copacabana terá que ser sustentável

A Riotur lançará, na próxima semana, a licitação para escolher a empresa de eventos que produzirá o réveillon de Copacabana com novidades. Um dos itens que terá maior peso na avaliação dos projetos será as propostas para que a festa seja sustentável. O secretário municipal de Turismo, Antonio Pedro Figueira de Mello explicou que a exigência é para dar coerência com o tema proposto pela prefeitura. Como Ancelmo Gois antecipou, o tema será a realização da Conferência das Nações Unidas para o Meio Ambiente e Desenvolvimento (Rio+20), em junho, no Rio, duas décadas após a realização da Rio 92.

 – Obrigatoriamente, a agenda ambiental vai estar no réveillon. Os projetos deverão apresentar soluções para reduzir ou neutralizar a emissão de carbono e estimular a reciclagem do lixo deixado pela festa – exemplificou o secretário.

A empresa vencedora e os patrocinadores devem ser conhecidos em 45 dias. A exemplo do que ocorreu no ano passado, quando o tema foram os grandes eventos esportivos que o Rio receberá nessa década (Jogos Mundiais miliares este ano, a Copa das Confederações em 2013, a Copa do Mundo em 2014 e as Olimpíadas em 2016), a prefeitura pretende montar quatro palcos para shows. O roteiro da festa de fogos também será decidido pela empresa vencedora. Na última edição, os patrocinadores investiram R$ 17,5 milhões na festa, incluindo shows e os fogos.

Segundo o secretário de Turismo, também esta semana serão lançados os editais para tentar conseguir patrocínio para a festa em outros pontos do Rio: Barra da Tijuca, Flamengo, Sepetiba, Guaratiba, Piscinão de Ramos, Penha, Ilha do Governador e Paquetá.

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/rio/mat/2011/07/12/festa-do-reveillon-em-copacabana-tera-que-ser-sustentavel-diz-riotur-924881991.asp#ixzz1S1pZ0f8G
© 1996 – 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Deixe um comentário

Arquivado em AMBIENTE URBANO, Cidades sustentáveis, Megaeventos

A COMLURB retirou 849,5 toneladas de lixo no carnaval de 2011

lixo no sambódromo

lixo no sambódromo - Foto: Bruno, Coluna Zero

A Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) retirou 849,5 toneladas de lixo no carnaval deste ano, englobando os blocos de rua, o Sambódromo e a Estrada Intendente Magalhães, onde desfilam as escolas de samba dos grupos C, D e E. O volume é recorde na história da limpeza durante o carnaval carioca e representa acréscimo de 12% em relação ao mesmo período do ano passado.

Durante os desfiles dos cerca de 420 blocos que animaram a cidade desde a última sexta-feira (5) até terça (8), os 2.427 garis da Comlurb retiraram 316,7 toneladas de resíduos das vias públicas. O aumento foi de 20% sobre o carnaval de 2010.

No Sambódromo, foram recolhidas 463 toneladas de lixo, superando em 10% o total retirado em igual período do ano passado. Os 70 catadores que atuaram na Passarela do Samba coletaram 44 toneladas de materiais recicláveis.

Já na Estrada Intendente Magalhães, em Campinho, subúrbio da Leopoldina, foi registrada queda de 10% no volume de resíduos coletados em comparação a 2010. O total recolhido neste carnaval alcançou 26,6 toneladas.

Lixo na Cinelândia Foto: Bruno do Coluna Zero

Av. Rio Branco c/ a Av. Almirante Barroso, RJ

Av. Rio Branco c/ a Av. Almirante Barroso - Foto Bruno do Coluna Zero

 

Deixe um comentário

Arquivado em Alto Verão Carioca, AMBIENTE URBANO, Carnaval, Crime ambiental, Nossos bairros, Resíduos sólidos

Prefeitura do Rio apresenta balanço do Carnaval 2011


Bloco carnavalesco Simpatia É Quase Amor

Simpatia É Quase Amor foto : Pedro Kirilos/Riotur

Prefeitura do Rio apresentou na manhã desta segunda-feira, dia 14, o balanço geral do Carnaval 2011, que teve recorde de foliões nas ruas e de turistas na cidade. Com o sucesso desse Carnaval, o Rio de Janeiro se consagra como o maior carnaval de rua do país, atingindo a marca de 4,9 milhões de foliões espalhados em diferentes pontos da cidade.

Desse total, 1 milhão era de turistas, sendo 700 mil nacionais e 300 mil estrangeiros. A Folia de Momo gerou U$750 milhões, teve 96% da rede hoteleira ocupada e registrou um aumento de 15% no número de pacotes vendidos.

O secretário especial de Turismo e presidente da Riotur, Antonio Pedro Figueira de Mello, fez um balanço positivo sobre o evento.

– O Rio teve um Carnaval de muita tranqüilidade e de sucesso absoluto.

Tivemos 1 milhão de turistas, estávamos esperando 750 mil. O Carnaval é a maior festa popular do mundo. O Rio de Janeiro prova que tem o maior Carnaval do Brasil. Foi um Carnaval sem maiores incidentes, onde as pessoas brincaram nas ruas.

Ao comentar sobre a infraestrutura e prestação de serviços da Prefeitura do Rio, o secretário municipal de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Roberto Osório, disse que a operação carnavalesca foi bem-sucedida porque existia um planejamento e por causa do funcionamento do Centro de Operações Rio. Osório comparou o Carnaval com as Olimpíadas, que serão realizadas na cidade em 2016.

– O Rio de Janeiro encerrou ontem (domingo) uma operação de guerra.

Talvez a mais complexa em termos de logística da história recente da nossa cidade. Tivemos a movimentação de quase 5 milhões de foliões, que participaram de 424 blocos, em todas as regiões da cidade. E o Rio de Janeiro que se prepara para os Jogos Olímpicos pode respirar tranquilo, sabendo que nós temos capacidade operacional. Os Jogos Olímpicos, por exemplo, terão 9 milhões de espectadores, em arenas com lugar marcado, uma operação pré-determinada mais fácil. Os Jogos Olímpicos têm 303 eventos. Nós tivemos 424 eventos em toda a cidade no

Carnaval. Os Jogos Olímpicos têm mais ou menos 47 instalações esportivas onde esses eventos acontecem. Nós tivemos mais de 100 locais onde esses blocos desfilaram e a cidade funcionou.

A apresentação dos dados do Carnaval foi realizada na sede da Riotur, no Centro, e contou com a participação do secretário especial de Turismo e presidente da Riotur, Antonio Pedro Figueira de Mello; dos secretários municipais de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Roberto Osório; de Ordem Pública, Alex Costa; da presidente da Cet-Rio, Cláudia Secin; do chefe-executivo do Centro de Operações Rio, Sávio Franco; e do superintendente da Guarda Municipal, Ricardo Pacheco.

Banda de Ipanema

Banda de Ipanema

Carnaval 2012

Com o objetivo de desafogar o número de blocos na Zona Sul do Rio de Janeiro e proporcionar um melhor Carnaval para os foliões e moradores da cidade, a Riotur já começou a fazer um estudo detalhado que pretende reduzir pela metade o número de foliões da região para o Carnaval de 2012.

Entre os quesitos que serão analisados sobre as mudanças para o próximo carnaval estão a tradição dos blocos e a identidade deles com os bairros, como exemplos a Banda de Ipanema, o bloco Simpatia Quase Amor, Acadêmicos do Vidigal, entre outros.

Em 2011, 424 blocos foram cadastrados e desfilaram pela cidade, número 10% inferior ao de 2010, quando 465 saíram pelas ruas do Rio. Na Zona Sul o público estimado para esse ano, que era de 744 mil pessoas, chegou a 1.543 milhão, entre cariocas e turistas.

Conteineres químicos

Conteineres químicos com o esgoto escorrendo e calçada avariada

Banheiros químicos e containers

Ao longo de 22 dias, foram posicionadas, higienizadas, e transportadas 7.400 cabines de banheiros químicos, em mais de 800 endereços na Cidade do Rio de Janeiro. Instalados e operados 40 containers sanitários, em 17 pontos da Zona Sul, Centro e Tijuca.

A estimativa é que tenham sido recolhidos mais de 1.200.000 litros de xixi pelos banheiros químicos, e 750.000 litros, pelos containers, ou seja, no total, o equivalente a 3 piscinas olímpicas de urina.

Balanço dos órgãos públicos que atuaram no Carnaval da cidade

Centro de Operações Rio

Em seu primeiro carnaval, O Centro de Operações Rio inaugurado no dia 31 de dezembro do ano passado para monitorar a cidade e os grandes eventos, ajudou no controle do tráfego e da multidão arrastada pelos blocos de rua com o auxílio de quase 500 câmeras e de operadores de 30 órgãos municipais, concessionárias, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, que trabalharam 24 horas por dia durante o feriadão.

Para chegar no meio do povo e zelar pela folia ainda mais de perto, o Centro contou com o apoio da tecnologia do carro-espião e da mochila-vigilante. A câmera, que filma 360 graus, flagrou mijões e teve papel fundamental no socorro de um jovem que se acidentou durante o Bloco das Carmelitas, em Santa Teresa, na sexta-feira de carnaval.

Com ajuda da ferramenta, o socorro dos Bombeiros chegou mais rápido ao local, salvando a vida do folião, que teve traumatismo craniano.

A chuva tentou, mas não tirou o brilho da folia carioca. Uma equipe de meteorologistas, de plantão 24h horas, monitorou as condições do tempo através do radar meteorológico e das 33 estações pluviométricas. No entanto, não houve registros de transtornos. Grajaú (35,4mm), Tijuca (35,2mm) e Bangu (34,6mm) foram os bairros onde mais choveu.

Bloco Broxadão em Copacabana

SEOP (Secretaria Especial de Ordem Pública)

Cerca de 2 mil pessoas entre agentes da Seop e guardas municipais atuaram no combate ao xixi na rua, ambulantes não credenciados, estacionamento irregular e também na dispersão dos blocos, desde os três fins de semana anteriores ao início do Carnaval.

Desde o desfile dos blocos pré-carnavalescos, 1.802 veículos foram rebocados e 7.488 multados por estacionamento irregular. A operação choque de ordem levou para a delegacia 777 mijões. Foram apreendidos 14.993 itens do comércio ambulante entre eles, bebidas, isopores e alimentos.

Guarda Municipal

A Operação Carnaval 2011 da Guarda Municipal do Rio de Janeiro registrou uma queda de 58% no número de ocorrências relacionadas ao patrulhamento em geral (como crianças perdidas, solicitações do Disque Ordem, atendimento a turistas, entre outros) e crescimento de 2,5% no número de veículos infracionados em relação ao Carnaval do ano passado. Além disso, subiu para 232 % o número de veículos rebocados.

O Centro de Controle Operacional (CCO) da Guarda Municipal do Rio de Janeiro registrou 89 ocorrências durante o Carnaval em toda a cidade, o que representa uma queda de 58% em relação ao ano anterior. No Carnaval de 2010, a GM-Rio registrou 214 ocorrências, 108 ocorrências (2009), 79 ocorrências (2008), 94 ocorrências (2007), 97 (2006), 214 (2005), 154 (2004), 406 (2003), 281 (2002) e 323 (2001).

Foram notificadas 3.723 infrações das 12h de sexta-feira, dia 12, às 6h desta quarta, dia 9, um aumento de 2,5% no número de multas em relação a 2010, quando foram registradas 3.629 multas.

Já em relação ao número de veículos rebocados pela GM-Rio neste Carnaval houve um aumento de 232 %, uma vez que 778 veículos foram rebocados. Em 2010, foram 234 veículos rebocados. Já em 2009, foram 289 veículos rebocados.

COMLURB (Companhia Municipal de Limpeza Urbana)

A Comlurb removeu 1304 toneladas de lixo desde o desfile dos primeiros blocos de rua, em fevereiro, até o Monobloco, dia 13/03, quando foi encerrado o Carnaval. Nesse total estão incluídas também as quantidades de resíduos removidas do complexo do Sambódromo, Avenida Rio Branco e Estrada Intendente Magalhães.

O pré carnaval, com o desfile de blocos em vários bairros da cidade, foi responsável por gerar 268,6 toneladas de lixo. Durante os cinco dias oficiais de folia, a Comlurb contabilizou 849,5 toneladas. Esse número corresponde a um aumento de 12% em relação ao ano passado. Já os desfiles de blocos e escolas de samba após a Quarta-Feira de Cinzas produziram 186,1 toneladas.

Para a limpeza dos blocos, a Companhia elaborou um plano de ação classificando os blocos em quatro categorias especial, um, dois e três de acordo com demanda de recursos necessária para que a limpeza seja feita por um efetivo e equipamentos ideais. Desta forma, foram agilizados os procedimentos e atendimentos às demandas específicas de cada bloco. A limpeza aconteceu com o apoio de contêineres, caminhões compactadores, pulverizadores, pipas d’água, Kombi lava jato, caminhões basculantes, mini varredeiras, varredeiras mecânicas e mini basculantes. Todas as vias da cidade por onde passaram blocos foram atendidas com limpeza.

O asseio do Sambódromo e do Terreirão do Samba ficou a cargo de 1572 garis. Na Estrada Intendente Magalhães, atuaram 43 garis, a cada dia. Os trabalhadores tiveram o apoio de caminhões basculantes e compactadores, pipas d’água, pás carregadeiras e mini varredeiras.

Essa megaoperação da Comlurb foi realizada sem comprometer a limpeza ordinária, que é feita diariamente pela empresa em todos os bairros do Rio.

A coleta seletiva no Sambódromo foi feita por 70 catadores das organizações Febracom, CataRio e Movimento Nacional de Catadores do Rio de Janeiro, que removeram 71,7 toneladas de materiais recicláveis, entre os dias 04 e 12/03.

Bloco da politicagem

Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil

Durante os seis dias de desfiles das escolas de samba, foram atendidas 1.918 pessoas, em sua maioria por cefaleia (dor de cabeça) e cortes. Ao todo, foram necessárias 57 remoções para hospitais da rede municipal (cerca de 3% do total de atendimentos). As transferências foram motivadas, principalmente, por hipertensão, fraturas, entorses e mal estar. O segundo dia de desfile do grupo A, dia 7, concentrou o maior número de atendimentos, totalizando 568 consultas, 30% do total.

A Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil (SMSDC) ofereceu à população oito postos de saúde localizados estrategicamente no Sambódromo e Terreirão do Samba, que contaram com mais de 150 profissionais de saúde de plantão, além de 16 ambulâncias UTIs. As unidades estiveram abertas a partir das 18 horas, localizadas na Concentração, setores 2, 7 e 11, Rua Salvador de Sá, Apoteose e duas no Terreirão do Samba.Todas contaram com equipamentos de suporte à vida, medicamentos, insumos e exames.

A Defesa Civil Municipal não registrou nenhum incidente grave e as equipes da Vigilância Sanitária que estavam de plantão na Marquês de Sapucaí realizaram 125 vistorias em estabelecimentos de alimentação, emitiram 30 autos de infração e inutilizaram 70kg de comida e 20 litros de bebidas. As principais causas de infração foram por armazenamento de alimentos fora da temperatura adequada e/ou estocados em condições inadequadas, falta de higiene, produtos impróprios para consumo e fora do prazo de validade.

No ano passado, 2.175 pessoas foram atendidas e 54 transferidas para hospitais (2,4% do total de atendimentos). As principais causas foram intoxicação alcoólica, crise hipertensiva (pressão alta), mal estar e problemas ortopédicos.

CET-RIO (Companhia de Engenharia e Tráfego)

A média diária de 1.000 agentes da Prefeitura atuando, sendo 750 agentes da Guarda Municipal e 250 operadores da CET-Rio. Além disso, a CET-Rio atuou com 22 reboques para desobstrução de vias; 25 motocicletas; 35 veículos de apoio operacional; 23 painéis de mensagens variáveis para orientar os motoristas e passar informações sobre as condições de trânsito. Destaque-se ainda que foram enviados 63 informativos de trânsito relacionados aos eventos carnavalesco.

RIOLUZ

Iluminação monumental do Sambódromo – 29 postes, 27 quadros de luz e 400 projetores com potência de 2mil watts cada. O sistema de proteção contra raios também foi reformado. Como esse trabalho, houve aumento de 35% a luminosidade da região.

Iluminação especial nos arcos da Apoteose – pelo lighting designer Peter Gasper, a nova iluminação conta com 288 projetores de 1000 watts de potência cada um, além disso, foram instalados 22 projetores em LED. A iluminação permitiu refletir nos arcos da Apoteose as cores de cada uma das escolas que desfilaram na Passarela do Samba.

Instalação de 914 projetores, num total de 1.255 pontos de luz a mais, em vias de grande concentração de pessoas durante o período de Carnaval. Os refletores, que aumentaram a luminosidade em 200%, e ficaram localizados nas avenidas Intendente Magalhães (84 projetores) e Rio Branco (112), no Terreirão do Samba (47), na área da dispersão (45) e na área de concentração (156) do Sambódromo.

A área no entorno do Sambódromo teve 1.000 pontos de luz reformulados em 43 vias. Na Avenida Presidente Vargas foram reformulados 660 pontos de luz, com lâmpadas de vapor metálico.

Polícia Civil

De acordo a Polícia Civil, houve uma queda em 18 crimes durante o feriado de carnaval no Rio. O número de homicídios dolosos ficou 40 em 2011 contra 72 em 2010. Lesão corporal culposa caiu de 414 para 382. A queda de lesão corporal dolosa foi de 1.040 para 662. O roubo de veículos em 2011 foi de 212 para 172.

Texto: Anna Beatriz Cunha

Extraído de: Prefeitura do Rio de Janeiro

Bloco carnavalesco Monobloco na av. Rio Branco, RJ

Monobloco


Deixe um comentário

Arquivado em Alto Verão Carioca, AMBIENTE URBANO, Carnaval, Cultura, Guarda Municipal, Megaeventos, Polícia Militar, Uncategorized

Forte de Copacabana deve ter 1º grande evento da Copa

O Comitê Organizador do Brasil para a Copa do Mundo de 2014 dá como certo o fato de que o sorteio das Eliminatórias para o Mundial acontecerá no Forte de Copacabana, informa neste sábado o jornal Folha de S.Paulo. Segundo o veículo, Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa, esteve presente ao local durante sua visita ao Brasil e informalmente deu seu aval. O sorteio das Eliminatórias é o primeiro evento de porte relativo à Copa bancado pela entidade máxima do futebol.

De acordo com as informações divulgadas, membros do Comitê fizeram uma vistoria no Forte de Copacabana na última sexta-feira. A Folha de S.Paulo ainda informa que, por se tratar de uma área aberta e sem auditório nas proximidades, uma arena provisória deverá ser montada no local. Conforme informa o jornal, o auditório terá capacidade para receber mais de 200 dirigentes.

Deixe um comentário

Arquivado em Megaeventos